quinta-feira, 29 de março de 2012

Amor


Dizem que para o amor chegar não há dia… Não há hora… E nem momento marcado para acontecer. Ele vem de repente e se instala… No mais sensível dos nossos órgãos… o coração. Começo a acreditar que sim… Mas percebo também que pelo fato deste momento…Quando chega, quase sempre os sintomas são arrebatadores… Vira tudo às avessas e a bagunça feliz se faz instalada. Quando duas almas se encontram o que realça primeiro… Não é a aparência física, mas a semelhança das almas. Elas se compreendem e sentem falta uma da outra…. Se entristecem por não terem se encontrado antes… Afinal tudo poderia ser tão diferente. No entanto sabem que o caminho é este… E que não haverá retorno para as suas pretensões. É como se elas falassem além das palavras… Entendessem a tristeza do outro, a alegria e o desejo… Mesmo estando em lugares diferentes. Quando almas afins se entrelaçam… Passam a sentir saudade uma da outra… Em um processo contínuo de reaproximação… Até a consumação. Almas que se encontram podem sofrer bastante também, Pois muitas vezes tais encontros acontecem… Em momentos onde não mais podem extravasar… Toda a plenitude do amor… Que carregam, toda a alegria de amar… E de querer compartilhar a vida com o outro, Toda a emoção contida à espera do encontro final. Desejam coisas que se tornam quase impossíveis, Mas que são tão simples de viver. Como ver o pôr-do-sol… Ou de caminhar por uma estrada com lindas árvores… Ver a noite chegar… Ir ao cinema e comer pipocas… Rir e brincar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário